quarta-feira, 10 de junho de 2009

Set me free

Esses dias eu li no Orkut de alguém: Só a verdade liberta! E fiquei pensando...pensando...e concluí que a verdade é uma faca de dois gumes.
A verdade liberta...mas liberta do quê? Pode nos libertar da ignorância mas não necesariamente nos liberta para a felicidade. Algumas vezes já me peguei dizendo "ai, eu preferia não ter ouvido isso", ou "eu era mais feliz sem saber disso"...você não?
Na real eu acho que a ignorância é que liberta. Uma pessoa burra e desinformada é muito mais feliz! A informação e a verdade, de certa forma, te aprisionam.

5 comentaram porque quiseram:

sr. intestino disse...
11 de junho de 2009 18:15
 

activia liberta

Este comentário foi removido pelo autor.

tu já assistiu a peça de teatro: A alma imoral, do autor Nilton Bonder???

a verdade não é necessariamente a verdade "moralmente correta de nossa sociedade", quanto aos burros, ja pensei nisso e achou q realmente .... nao sao felizes, apenas enfrentam os problemas conforme discernimento.

Prefiro ser como sou, cheio de conflitos, duvidas, incertezas, mas em uma luta desenfreada para que consiga realizar meus sonhos (talvez impossiveis) dentro da verdade que acredito.

Me diga vc, conseguiria ser feliz vivendo uma verdade a vc mesmo pela metade? ou prefiriria ser menos do que és??? neste caso nao teria a opção de questionar, considerando ser mais burra.
Essa verdade é chata, dura e crua, masss acho q ta certa - a verdade liberta!

Ignorance is Bliss

"Ignorance is bliss because if you don't know something, it can't hurt you. As children, people are themselves and get along much better. The more we age, the farther we lose who we are and begin to restrain ourselves for fear of others. As we grow older, we become increasingly aware of pain and suffering, and the more we know about everything wrong in the world, the more we lose our innocence and become less 'blissful'. I read once that when we lose the innocence of childhood, we become compassionate. That's the start of adulthood. We loose our ignorance and bliss with innocence, but we gain knowledge, compassion, and understanding."

http://allphilosophy.com/topic/1658

Comentário pessoal: acho que devemos ser seletivos. Aquilo que nos interessa e que nos impacta diretamente, devemos compreender. Agora, aquilo que não vai nos acrescentar nada, sinceramente, dane-se!

E na buenas, o quê realmente liberta ou aprisiona, e a nossa atitude frente a verdade ou a ignorância. O quê importa 'somos nozes', o resto é periférico ou acessório.

Caramba! Concordo em genero, numero e grau!
Dia desses me enviaram um e-mail que me redirecionou para o site do PETA... um vídeo terrível de homens que esfolaram cães e chinchilas vivos para peleteria...
Eu não sabia que era assim! Eu achava que retiravam as peles de animais que já estavam mortos, por acidente ou qualquer coisa do tipo...(Meu Deus!!! Como eu sou inocente!) Mas eles matam... eles esfolavam vivos e eu assistí aquilo gritando e chorando, enquanto meus pais e meu marido mandavam que eu desligasse o PC, mas eu vi a maior parte. Eu realemnte poderia continuar inocente. Mudou tudo em mim depois que vi tudo aquilo.
E comecei a enxegar o ser humano de outra forma: muito pior do que eu imaginava que fosse. Digno de pena. Mas eu me revoltei.